Stent: o que é e como ele pode ajudar o seu coração?

Hospital Samaritano


8 de janeiro de 2016


6 minutos
08-01 – Stent – o que é e como ele pode ajudar o seu coração

Stent é o nome dado a uma pequena prótese que pode ser colocada no interior de uma artéria para evitar a obstrução dos vasos sanguíneos. Ele possui o formato de um tubo e tem sido utilizado para tratar a Doença Arterial Coronariana (DAC), problema resultado pela formação de placas de tecido gorduroso e colesterol que crescem e se acumulam na parede dos vasos, dificultando ou impedindo a passagem do sangue.

A obstrução das artérias coronárias, que levam oxigênio e nutrem o músculo cardíaco, pode resultar em infarto agudo do miocárdio – o famoso ataque cardíaco –, que, em determinadas situações, pode ser fatal.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), 350 mil pessoas morrem ao ano no Brasil em decorrência de doenças do coração, sendo o infarto, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a insuficiência cardíaca as três principais causas.

Como funciona o stent?

Quando colocado na artéria, o pequeno tubo metálico – feito de diferentes ligas, como por exemplo aço ou cromo/cobalto –, se expande dentro dela para restaurar o fluxo sanguíneo e permitir que o coração volte a receber oxigênio normalmente. A prótese pode ser inserida em uma artéria periférica, da perna ou do braço, com a ajuda de um cateter. Uma vez implantado, o stent fica na artéria de forma permanente.

Em quais casos é necessário colocar a prótese?

Se o tratamento clínico com medicações não for suficiente para a desobstrução das artérias, o médico pode recorrer à angioplastia para a colocação do stent ou à cirurgia de bypass coronário (conhecida popularmente como ponte de safena).

Lesões que dificultam o fluxo do sangue em 70% ou mais exigem intervenção, seja por meio da cirurgia ou da colocação da prótese. No entanto, a conduta adotada em cada caso deve ser orientada por um cardiologista.

[hs_action id=”7669″]

Como é feito o procedimento?

A colocação do stent é realizada por meio de uma cirurgia minimamente invasiva conhecida como angioplastia, cujo risco é pequeno. Ela é rápida, sob anestesia local, e geralmente o paciente recebe alta do hospital no dia seguinte. O procedimento não requer a abertura do tórax, como acontece nos casos da cirurgia de revascularização do miocárdio. Neste processo, com a expansão do vaso sanguíneo é feita a colocação da prótese.

Mudanças no estilo de vida: por onde começar?

Embora o stent e a cirurgia de revascularização do miocárdio – esta última indicada para casos mais graves em que há grande obstrução da passagem de sangue ou um comprometimento de muitos vasos ou de vasos importantes –, sejam alternativas para o tratamento da DAC, a melhor forma de se obter bons resultados para a saúde do coração é adotar um estilo de vida saudável.

Pesquisas revelam que grande parte dos problemas cardiovasculares poderiam ser evitados com o controle de fatores de risco como a obesidade, o tabagismo, o sedentarismo, a hipertensão e o colesterol alto. Além disso, manter o diabetes, o estresse e a alimentação controlados, priorizando o consumo de frutas, vegetais e grãos integrais, e retirando do cardápio as gorduras saturadas, o colesterol e o sódio, é o segredo para garantir o bem-estar do seu coração, tenha ele próteses ou não.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Código de conduta UHG | Código de conduta para parceiros de negócio | Relatório de Sustentabilidade 2018 | Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881