Infecção urinária: muito além do ardor e incômodo

Hospital Samaritano


29 de setembro de 2015


4 minutos
Infecção urinária: muito além do ardor e incômodo

Você já deve ter ouvido falar inúmeras vezes sobre infecção urinária, certo? Aquele incômodo e ardor ao urinar são sintomas típicos de infecção do trato urinário. Mas, você sabia que a infecção de urina pode ser mais grave do que pensa?

“Quando não devidamente acompanhado por uma equipe de especialistas, o quadro pode evoluir rapidamente para comprometimento de outros órgãos, como os rins e até a próstata”, explica Dr. Alexandre Crippa, coordenador do Núcleo de Urologia do Hospital Samaritano de São Paulo.

O diagnóstico de infecção urinária é feito por meio de história clínica, exame físico e laboratorial (urina tipo I e urocultura).

Ardência para urinar, aumento da frequência urinária e alterações na característica da urina (cor e odor) são sintomas comuns referidos pelo paciente. A presença de febre, calafrios e vômitos sugere infecção urinária complicada.

A infecção urinária pode ser classificada em dois tipos:

Infecção de trato urinário baixo ou cistite – são comuns os sintomas de ardência, sangramento na urina e urgência para urinar.

Infecções de trato alto (pielonefrite) – surgem sintomas como febre, mal estar, dor lombar, calafrios e falta de apetite.

Pode acometer homens, mulheres e crianças. A prostatite aguda (infecção da próstata) ocorre em homens e pode estar relacionada à infecção do trato urinário. “Esse quadro de infecção pode evoluir para Sepse, condição grave que pode levar à falência múltipla de órgãos e óbito.

“É considerada emergência clínica e deve ser tratada de maneira agressiva por meio de internação e uso de antibióticos. Por isso, qualquer ardor, diferença na cor ou rotina urinária, deve ser acompanhada por um especialista”, destaca o Dr. Crippa.

Como tratamento para pielonefrite ou prostatite aguda, é indicada a internação e, após 48 horas, se o paciente não estiver mais com febre alta, pode-se continuar o tratamento em casa, com antibióticos pelo período indicado. Mas o especialista alerta: “as infecções urinárias recorrentes (mais de três vezes no intervalo de um ano), infecções em homens e crianças devem ser investigadas”.

“Ingerir líquidos e urinar sempre que tiver vontade são hábitos muito importantes para evitar a infecção de urina”, complementa o Dr. Crippa.

[hs_action id=”7682”]

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Código de conduta UHG | Código de conduta para parceiros de negócio | Relatório de Sustentabilidade 2018 | Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881