Check-up periódico para as mulheres: uma rotina importante

Confira quais exames devem ser realizados em cada fase da vida

Hospital Samaritano


22 de agosto de 2016


7 minutos

A realização de um check-up anual já deve fazer parte da rotina de qualquer mulher após os 18 anos. Porém, muitas mulheres desconhecem a importância da realização de outros exames de acordo com sua faixa etária ou seu estado de saúde.

Dr. Edilson Ogeda, coordenador do Núcleo de Ginecologia, Obstetrícia e Perinatologia do Hospital Samaritano de São Paulo, reforça a importância de toda mulher se preocupar com a promoção da sua saúde e com a prevenção de doenças. Para auxiliá-las, o especialista indica quais exames devem ser realizados em cada fase da vida.

  • Início do ciclo menstrual até os 30 anos

A partir desta idade, é importante realizar todos os exames de saúde geral para diagnosticar doenças já existentes, porém que podem ainda não ter se manifestado. Problemas do coração e da tireóide hipertensão e diabetes podem ser alguns exemplos.

Exames gerais: Hemograma (análise geral do sangue), glicemia de jejum, ureia e creatinina (função renal), colesterol total e triglicerídeos, função tireoideana, urina e parasitológico de fezes, eletrocardiograma de repouso, teste ergométrico e ecocardiograma.

Papanicolau e exame pélvico: devem ser feitos anualmente a partir dos 18 anos, ou antes, caso já tenha mantido relações sexuais.

Ultrassom pélvico/transvaginal: solicitado sempre que o médico ginecologista achar necessário. Pode ser realizado por via transvaginal, quando a mulher já teve relação sexual ou via abdominal para mulheres virgens.

Autoexame de mama: é importante realizá-lo mensalmente após o período da menstruação. Mesmo que não menstrue regularmente, é importante realizá-lo com a mesma periodicidade. Se notar nódulos ou se houver secreção ao apertar os mamilos, procure imediatamente um médico.

  • 30 e 40 anos

Nessa fase, além do check-up regular, a mulher deve ter cuidado especial com o sistema reprodutivo, pois é nesse período que aumenta a incidência de câncer de mama e de colo de útero.

Mamografia: deve ser feita pela primeira vez aos 35 anos e repeti-la anualmente. Caso haja histórico de câncer de mama na família (mãe e avó), é necessário realizar o exame logo após os 30 anos.

  • 40 aos 50 anos

Nessa fase, especial atenção à osteoporose.

Desintometria óssea: como nessa faixa etária a osteoporose é uma das doenças mais comuns, esse exame deve ser feito pela primeira vez entre 40 e 45 anos e repeti-lo anualmente se apresentar algum grau de perda de massa óssea. Se o resultado for normal, deve ser feito a cada dois anos.

Papanicolau e exame pélvico: Caso esteja entrando na menopausa ou se trata – ou tratou – de câncer de colo uterino, deve realizar esses exames quatro vezes por ano.

Raio-X do tórax: Para as fumantes, é recomendado que faça exame a partir dos 40 anos, anualmente.

Testes de perfil hormonal: Após o início do climatério – irregularidade que antecede à menopausa – pode ser recomendado que seja feito um perfil hormonal, através do exame de sangue coletado junto com os demais da rotina habitual.

  • Acima dos 50 anos

A partir dessa idade, os exames devem ser anuais ou semestrais, de acordo com os resultados ou estado clínico da mulher. É importante visitar o ginecologista a cada seis meses, principalmente, se realiza terapia hormonal.

  • Diabéticas

Além dos exames de rotina, é fundamental se atentar a outros fatores como contagem de glicemia (duas vezes ao ano), controle de peso e exame de fundo do olho para analisar o grau de comprometimento das artérias.

  • Situações especiais

Em algumas situações, são necessários exames diferenciados para investigações mais apropriadas caso a caso. Como exemplo, podemos citar: USG transvaginal com preparo intestinal e ressonância nuclear magnética para pesquisa e análise de endometriose profunda; estudo urodinâmico para investigação de distúrbios da micção, como perda de urina aos esforços; mamotomia e core biopsy para suspeita de patologia mamária maligna.

Unidade de Medicina Diagnóstica e Terapêutica A Unidade de Medicina Diagnóstica e Terapêutica do Hospital Samaritano conta com um espaço especial para a saúde da mulher. Saiba mais: http://samaritano.com.br/category-institucional/infraestrutura/medicina-diagnostica/unidade-da-mulher

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo