Doenças do coração: um perigo silencioso

Saiba como manter seu coração em ordem, mudando pequenos hábitos alimentares e estilo de vida.

Hospital Samaritano


20 de agosto de 2015


6 minutos
Doenças do coração um perigo silencioso

Ao pensar em doenças cardiovasculares, principalmente infarto do miocárdio, logo associamos o problema às dores fortes no peito que podem ocasionar a morte súbita. O raciocínio não está errado. Porém, em muitos casos, esse mal é silencioso, o que caracteriza uma das formas mais perigosas de manifestação das doenças cardíacas. Ou seja, quando descoberta, pode ser fatal.

É comum ouvir relatos de vítimas de infarto reforçando que há algum tempo estavam sentindo uma pequena pressão no peito e fadiga ao subir uma escada, por exemplo. Mas não deram importância ao sintoma, já que não era intenso e agudo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as mortes por doenças cardiovasculares têm a estimativa de aumentar em 250% até 2040. Atualmente, as doenças do coração e o AVC (Acidente Vascular Cerebral) são as principais causas de óbito no Brasil.

“As pessoas precisam ficar alertas aos sintomas silenciosos que podem indicar problemas cardíacos. A melhor forma de prevenir que o quadro se agrave e que o paciente seja surpreendido é fazer um acompanhamento médico regular, com a realização de exames preventivos”, explica o Dr. Roberto Cury, coordenador do Núcleo de Cardiologia do Hospital Samaritano de São Paulo.

Prevenção é a melhor saída

A mudança de hábitos alimentares e do estilo de vida é uma alternativa que deve ser adotada para quem quer ter uma vida com mais qualidade e saúde e preservar o órgão cardíaco.

“A prática regular de exercícios, no mínimo três vezes por semana e com intensidade moderada, além da eliminação de alimentos gordurosos e ricos em açúcares são indicados para diminuir os índices de colesterol, triglicérides, controlar o diabetes e a hipertensão. Esses fatores impulsionam o surgimento de problemas do coração quando fora de controle”, acrescenta o médico.

Além disso, realizar check-ups preventivos, ao menos uma vez por ano, também é uma medida importante. Conhecido como marcadores cardíacos, esse tipo de exame identifica substâncias liberadas no sangue quando há alguma lesão no coração ou doença cardiovascular associada. Dependendo de cada caso, o médico também pode solicitar outros tipos de marcadores cardíacos como Glicemia, Hemoglobina Glicada, Teste Ergométrico, Ecocardiograma, dentre outros exames.

Em aproximadamente 50% dos casos, o infarto ou a morte súbita ocorre como primeiro sintoma dos pacientes. Por isso a importância da estratificação dos fatores de risco e identificação precoce da doença arterial coronariana como maneira de realizar a prevenção primária dos pacientes.

”Infelizmente, os exames com pesquisa de isquemia apresentam alteração apenas após a presença de obstrução significativa acima de 70%. Hoje temos métodos não invasivos que ajudam a estratificar melhor esses pacientes, como o escore de cálcio, que identifica a presença de placas calcificadas nas artérias coronárias e re-estratifica o risco clínico dos pacientes assintomáticos de risco intermediário”, acrescenta o especialista.

Para evitar complicações mais sérias, não ignore qualquer indício que possa aparentar um problema cardíaco. Programe-se para fazer um acompanhamento médico com frequência e passe a dedicar mais tempo cuidando de sua saúde. O benefício é exclusivo para você.


New Call-to-action



Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Dr. Maurício Rodrigues Jordão - Diretor Técnico - CRM 98.881