Arritmia cardíaca: quais são as causas e sintomas dessa doença em crianças?

Diferente do que se imagina, irregularidades nos batimentos cardíacos são comuns nos pequenos

Hospital Samaritano


19 de agosto de 2016


5 minutos

As arritmias, irregularidades dos batimentos cardíacos, ao contrário do que se imagina, são condições comuns em crianças. Essas variações no ritmo do batimento do coração se caracterizam por frequências cardíacas elevadas ou reduzidas em relação ao que é esperado para a idade ou, ainda, por irregularidades nos batimentos que normalmente são regulares. Elas podem ser ocasionadas por condições fisiológicas, próprias da criança, não caracterizando doença cardíaca, ou por condições patológicas. Dentre as principais causas responsáveis pelas doenças no ritmo cardíaco estão:

  • Alterações elétricas congênitas do coração;
  • Infecções que possam acometer o sistema cardiovascular, especialmente as virais;
  • Cicatrizes cardíacas eventualmente ocasionadas por cirurgias cardíacas;
  • Alterações dos elementos do sangue;
  • Uso de medicações que têm como efeito colateral as arritmias cardíacas.

Sintomas e diagnóstico das arritmias pediátricas

Doutora Maria Fernanda, cardiopediatra do Hospital Samaritano, explica como os pais ou responsáveis podem identificar os sintomas. “As arritmias podem ser completamente assintomáticas, sendo notadas apenas durante o exame físico de rotina em consultas pediátricas. Porém, elas podem ocasionar sintomas e sinais, tais como: palpitações, palidez, suor excessivo, tonturas, desmaios, cansaço e até convulsões. Estes sintomas, quando presentes, podem ser facilmente notados por pais e familiares”.

As arritmias não patológicas (arritmias sinusais) podem ser diagnosticadas apenas pela história clínica e exame físico e confirmadas pelo eletrocardiograma simples. Já as doenças de ritmo cardíaco podem ser suspeitas pela história clínica e, em geral, demandam outros exames, além do eletrocardiograma, para o diagnóstico, tais como: holter de 24 horas, tilt-test, loop-test, exames de sangue, ecocardiograma e eventualmente até a indução da arritmia através do estudo eletrofisiológico.

Tratamentos disponíveis

O controle das arritmias em crianças pode ser feito com medicações que ajustam a frequência cardíaca ou que evitam a recorrência dos episódios de arritmias. Em parte dos casos é possível resolver espontaneamente com o crescimento e amadurecimento da criança.

No entanto, há arritmias de difícil controle com medicamentos ou que não respondem ao uso de medicações. Nestes casos pode-se considerar a realização do estudo eletrofisiológico (EEF) para correção da arritmia. Trata-se de uma espécie de cateterismo cardíaco que tem a função de queimar os feixes elétricos responsáveis pelas arritmias. O EEF habitualmente é indicado para crianças com peso superior a 30 Kg, quando se torna um procedimento mais seguro e com menos complicações.

Também pode ser necessário o implante de marca passo ou de cardiodesfibrilador automático, em casos de arritmias específicas mais graves. Há também as cirurgias cardíacas para o tratamento de arritmias, mas estas raramente são indicadas para crianças.

Núcleo de Cardiologia

Oferecer atendimento completo ao paciente, desde o diagnóstico até a recuperação. Esse é o objetivo do Núcleo de Cardiologia do Hospital Samaritano, um centro de excelência para a prevenção e tratamento das doenças cardíacas. Saiba mais: http://samaritano.com.br/especialidades/cardiologia/sobre-o-nucleo

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Especialidades Pediátricas

Ver Todos