A importância do pré-natal para identificar e prevenir doenças na mãe e no bebê

Quais são os principais exames que a gestante deve fazer

Hospital Samaritano


5 de setembro de 2016


5 minutos

O pré-natal é um acompanhamento médico que toda gestante deve fazer para garantir a sua saúde e a do bebê durante toda a gestação até o nascimento.

Os exames feitos neste período são muito importantes, pois, com eles, é possível identificar e prevenir doenças que possam afetar a mãe e o bebê e evitar complicações que possam ocasionar abortamento, parto prematuro, diabetes gestacional, eclâmpsia, entre outras.

O pré-natal deve ser iniciado logo após a descoberta da gravidez, sendo a primeira consulta antes de completar três meses. Geralmente, a frequência nas consultas acontece da seguinte maneira: Até 34 semanas de gestação: uma a cada quatro semanas; Após 36 semanas: uma consulta a cada duas semanas; e A partir de 38 semanas: semanalmente.

Caso a gestante já tenha algum problema de saúde ou mesmo o concepto, as consultas devem ser mais frequentes. Além dos exames clínicos e laboratoriais, é durante o pré-natal que as gestantes recebem todas as informações sobre as mudanças físicas e psicológicas que vão acontecer na gestação. “Já na primeira consulta, o obstetra pergunta sobre a saúde da mãe, como foram as gestações anteriores, intercorrências e sobre o parto.

Na avaliação inicial, o médico também deve ser informado sobre a carteira de vacinação” orienta o Dr. Carlos Roberto Gomes e Silva, Ginecologista e Obstetra do Hospital Samaritano, especialista em medicina fetal. Confira quais são os principais exames que a gestante deve fazer no pré-natal.

Exames laboratoriais:

Hemograma Tipagem sanguínea e fator Rh (inclusive do pai) Exame de urina e urocultura (podem ser repetidos na presença de sintomas urinários) Exame de fezes (rastreamento de parasitoses) Glicemia de jejum Curva glicêmica (para rastreamento de diabetes gestacional) Sorologia/Anti-HIV Sorologia para detectar sífilis (LUES) Sorologia para detectar toxoplasmose Sorologia para detectar rubéola Sorologia para detectar hepatite B e C Pesquisa de estreptococo beta hemolítico (realizado a partir da 35ª semana)

Observação: se a gestante estiver vulnerável a alguma infecção, as sorologias são repetidas a cada três meses.

Ultrassonografias:

Trata-se de método de escolha para a avaliação gestacional durante todo o ciclo gravídico. As ultrassonografias são seguras para a mãe e para o bebê e também devem ser realizadas logo que haja a confirmação da gravidez.

A avaliação inicial pode ser feita via transvaginal e não oferece riscos. A partir do primeiro exame, podem ser programadas as avaliações seguintes, como os exames morfológicos de primeiro e segundo trimestre, a ecocardiografia fetal e aqueles que visam o desenvolvimento e avaliação da vitalidade fetal.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo