Conheça os tratamentos indicados no combate às varizes

Saiba mais sobre esse problema tão comum, como surgem, sintomas e formas de tratamento

Hospital Samaritano de São Paulo


29 de dezembro de 2016


7 minutos

As varizes, também chamadas de veias varicosas, são veias dilatadas (com o volume aumentado) que se tornam tortuosas com o decorrer do tempo. Os membros inferiores (pés, pernas e coxas) são os mais acometidos pela doença. Já as microvarizes, ou telangectasias, são varizes superficiais de fino calibre, que adquirem uma coloração mais avermelhada ou levemente arroxeada.

Como surgem

Dr. Henrique Lamego, especialista em cirurgia vascular do Hospital Samaritano, explica como surgem as varizes: “O fluxo sanguíneo no interior das veias ocorre no sentido do coração. Nos membros inferiores, esse fluxo é contra a força da gravidade. Quando não há complicações, o sangue não retorna para baixo devido às válvulas que existem dentro das veias”, diz o médico.

Já no caso das varizes, elas acontecem quando há algum defeito nestas válvulas, que não conseguem evitar que o sangue volte. Este sangue que reflui aumenta a pressão dentro das veias, fazendo com que fiquem dilatadas.

Sintomas

Geralmente, a questão estética é o que leva as pessoas a procurarem ajuda médica, pois as veias ficam dilatadas, tortuosas e visíveis. Os sintomas mais comuns são dor, cansaço e sensação de peso nas pernas.

De acordo com o Dr. Lamego, em alguns casos, os pacientes também se queixam de ardência, inchaço, câimbras e dormência. Todos estes sintomas podem ser mais intensos no final do dia e em dias quentes.

“Em um estágio mais avançado, além das dores e da sensação de peso nas pernas, podem aparecer feridas que causam dor e até infecções. Podem ocorrer também sangramentos e tromboses. Pessoas com úlceras abertas sentem dor quando passam muito tempo em pé”, alerta o médico.

Tratamentos cirúrgicos

O tratamento das varizes consiste em retirar da circulação as veias doentes. Entre os procedimentos cirúrgicos, pode ser feito através da cirurgia convencional, laser, radiofrequência ou injeção de espuma.

Cirurgia convencional

Realiza-se a extração de toda a veia através da passagem de um fio de metal ou de plástico, desde o tornozelo até a região da virilha. Deve ser realizada em centro cirúrgico e necessita de pelo menos uma semana de repouso para recuperação.

Laser

Passa-se uma fibra ótica pela extensão da veia safena, por meio de uma incisão mínima na perna e, sob a visão de um ultrassom, realiza-se o fechamento total da luz da veia através de altas temperaturas. Pode ser realizada com anestesia local, em consultório ou centro cirúrgico, e necessita de apenas três dias de recuperação para retorno às atividades.

Radiofrequência

Utiliza-se um fino cateter em toda a extensão da veia através de uma pequena incisão no tornozelo e, posteriormente, queima-se a parede da veia com ondas de radiofrequência, promovendo seu fechamento total. Nesta técnica, o paciente tem pouquíssimos hematomas. Também pode ser feita em consultório ou centro cirúrgico e em três dias o paciente está recuperado.

Técnica da espuma

Consiste na injeção de um produto nas veias doentes provocando sua esclerose com oclusão total de luz. Esta substância é o polidocanol, que misturado com ar, adquire a forma de espuma. O procedimento pode ser realizado em consultório, sem a necessidade de internação hospitalar. “Porém, os trabalhos mostram que após um ano, até 15% das veias tratadas reaparecem, retornando assim os sintomas das varizes”, explica Dr. Lamego.

Prevenção das varizes

Independente da herança genética, o médico especialista recomenda manter um estilo de vida saudável, com atividade física regular, uma alimentação balanceada e controlar o ganho de peso. “Estes são fatores que podem prevenir bastante o aparecimento de varizes”, finaliza.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo