Os três principais tipos de desvios na coluna

Escoliose, lordose e cifose são relativamente comuns na infância e podem não apresentar sintomas

Hospital Samaritano de São Paulo


4 de abril de 2017


3 minutos

A coluna vertebral é formada por 33 vértebras e, apesar de ser responsável por nossa postura ereta, não é um osso completamente reto, possuindo suas próprias e naturais curvaturas que sustentam na medida o corpo, permitindo a movimentação e o funcionamento ideal dos órgãos torácicos.

Entretanto, é relativamente comum a aparição de desvios na coluna, sendo os principais a escoliose, lordose e cifose. Má postura, traumas, problemas congênitos e até tumores são alguns dos problemas apontados como causadores desses problemas. Saiba mais sobre esses 3 tipos de desvios:

A escoliose é o desvio lateral da coluna, quando o osso vai se desviando para o lado esquerdo ou direito. É comumente descoberta durante a infância e a adolescência e a grande maioria dos casos, 80%, é identificado como idiopático, ou seja, sem causas definidas.

Como o próprio nome sugere, a lordose é o desvio da as vértebras lombares da coluna para dentro, aprofundando a curvatura côncava da espinha dorsal. A obesidade é um dos fatores de risco para desenvolver esse desvio, já que a coluna tende a inclinar para trás para buscar um maior equilíbrio do corpo. É também muito associada à escoliose e à cifose.

Já a cifose ocorre quando a coluna torácica, região mais superior da espinha, se projeta para fora da caixa torácica, aumentando a convexidade dessa região vertebral. Em adultos, esse desvio está relacionado com a osteoporose, mas a maioria dos casos começa a se manifestar ainda na infância ou adolescência.

Os três desvios geralmente são assintomáticos, sendo o incômodo puramente estético. Em alguns outros, há casos de dor, que podem ser tratados com medicamentos. Para tratar esses desvios, em geral, avalia-se a gravidade do desvio. O acompanhamento médico se faz necessário, mas também pode ser recomendada a fisioterapia e o uso de coletes para controlar o progresso do desvio. Casos mais graves podem ser corrigidos com cirurgia, mas essa opção costuma ser um tanto restrita.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo