Geração da cabeça baixa: uso de celular x dores musculares

Um dos principais motivos do problema é o uso incorreto de aparelhos móveis, principalmente o celular.

Hospital Samaritano


30 de dezembro de 2015


3 minutos
Geração da cabeça baixa uso de celular x dores musculares

Os chamados ‘geração da cabeça baixa’ – aqueles que costumam curvar o pescoço em direção ao visor do celular, ficando na postura conhecida como ‘corcunda’- , estão cada vez mais sendo prejudicados por este hábito ruim, que também causa dores musculares. Segundo o coordenador do Núcleo de Ortopedia do Hospital Samaritano de São Paulo, Dr. Luiz Fernando Cocco, “é cada vez maior o volume de consultas feitas pelos jovens em decorrência de má postura. Isso se deve, na maioria das vezes, ao uso incorreto dos aparelhos móveis como smartphones e tablets”.

O especialista ainda destaca que “em média, o brasileiro acessa o celular 150 vezes ao dia. São 150 vezes que a coluna dele se curva para o alcance do visor, quando o correto seria trazer o aparelho para a altura dos olhos”.

Esse tipo de hábito, somado a outros tão prejudiciais quanto, traz outras complicações à saúde. Entre elas:

  • Dores musculares: principalmente a musculatura paravertebral cervical e cintura escapular (ombros);
  • Risco de queda, quando acessa o aparelho durante caminhadas;
  • Compressões de raízes nervosas emergentes da coluna cervical.

Existe tratamento para dores musculares e má postura?

Em casos mais extremos ou muito raros, é necessário fazer a intervenção cirúrgica. “Esse procedimento é mais indicado para quem apresenta doenças de base na coluna, como Síndromes Compressivas), que se tornam mais sintomáticas durante o período que se mantem com a cabeça baixa. É importante o acompanhamento de centros de referência, com atendimento especializado”, destaca o Dr. Cocco.

O especialista explica que o tratamento inicial baseia-se em medidas de reeducação postural e conscientização dos malefícios gerados pelo tempo prolongado destes aparelhos.

Para finalizar, o ortopedista orienta: “fisioterapia e atividades de condicionamento físico podem resolver a grande maioria dos casos. Por isso, alonguem o pescoço sempre após o uso do aparelho, além de se policiar diariamente quanto à postura”.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo