Artrose pode afetar pessoas em qualquer idade?

Hospital Samaritano


29 de dezembro de 2015


6 minutos
24-12 Artrose pode afetar pessoas em qualquer idade

Você sabia que a artrose está entre os problemas de saúde que mais impactam na redução da qualidade de vida se não for tratada corretamente? Segundo o Ministério da Saúde, o problema atinge 15 milhões de brasileiros e ainda não tem cura.

Engana-se quem acredita que a artrose, conhecida popularmente como “dor nas juntas”, incomoda exclusivamente os mais velhos. Embora seja mais comum na terceira idade, resultado de um processo de desgaste natural das articulações, o inchaço e dores articulares nas mãos, colunas, joelhos e quadris também podem atingir os mais jovens, adultos e até crianças.

Início da artrose

O desgaste da cartilagem que reveste as nossas articulações ou juntas, conhecido como artrose, faz parte do envelhecimento natural do organismo. O dano acontece porque as células que formam o nosso tecido cartilaginoso são usadas ao longo da vida e não se regeneram.

Esse processo inicia de forma lenta (em torno dos 28 anos de idade, fase em que as pessoas se encontram no pico do desenvolvimento musculoesquelético) e geralmente não apresenta sintomas.

No entanto, cada vez que nossas articulações são submetidas a um estresse precoce, como os atletas que disputam competições ou em caso de acidentes, o processo de desgaste pode começar mais cedo.

Há ainda quem apresente o problema antes de entrar na terceira idade devido a alguns fatores genéticos. Obesidade, articulações malformadas ou defeitos na cartilagem, gota, artrite reumatoide, diabetes e outros distúrbios hormonais também podem provocar o problema, que incide com maior frequência sobre os membros inferiores, com destaque para os joelhos e quadris. Nos casos mais avançados, isso impacta muito na capacidade de deambulação (ou deslocamento) e independência dos idosos.

Proteja as suas articulações

É verdade que o risco de artrose aumenta com a idade. As mulheres são mais propensas a desenvolver o problema próximo da menopausa, mas isso não exclui a possibilidade dos homens também serem impactados. Entre a população masculina, o processo costuma ser mais lento, exceto em casos no qual a herança genética acelera o problema.

O sintoma mais comum é a dor nas articulações afetadas. Além de inchaço e limitações dos movimentos nesses locais. Também pode ocorrer rigidez articular.

A perda de peso, o fortalecimento geral da musculatura por meio de exercícios físicos e o uso de técnicas de fisioterapia, como a hidroterapia, associado à acupuntura são importantes aliados no combate aos sintomas.

Se você é idoso e sofre com o problema, o ideal é focar no fortalecimento articular com atividades como hidroginástica, caminhada e pilates, pois elas fortalecem a musculatura e o sistema cardiovascular.

Como enfrentar o problema e ganhar qualidade de vida

É importante lembrar que quanto mais cedo você começar o tratamento, melhores serão os resultados. Os sintomas podem ser aliviados com analgésicos (eficazes geralmente para artroses com dor leve ou moderada) e anti-inflamatórios (para reduzir a inflamação e aliviar a dor) – esses últimos são recomendados para momentos de crise.

Infiltrações são indicadas se o tratamento convencional não estiver dando os resultados esperados, assim como os procedimentos cirúrgicos, indicados em casos de necessidade de colocação de próteses.

Procure ajuda de profissionais especializados que podem auxiliá-lo a descobrir formas de manter as suas tarefas diárias ou o seu trabalho sem estressar ainda mais as suas articulações. Para saber mais sobre possíveis tratamentos visite o Centro de Reabilitação Física e Cognitiva.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Código de conduta UHG | Código de conduta para parceiros de negócio | Relatório de Sustentabilidade 2018 | Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881