Ressonância magnética é nova opção de exame para analisar a gordura no fígado

Novas técnicas permitem identificar melhor a gordura no fígado

Hospital Samaritano


15 de agosto de 2016


2 minutos
gordura_figado-1

Você sabia que a ressonância magnética é um exame que pode ser indicado para detecção da esteatose hepática, mais conhecida como acúmulo de gordura no fígado?

Isto é válido principalmente quando se trata da doença gordurosa hepática não-alcoólica, que hoje é considerada epidêmica.

Cerca de 30% da população é afetada pela doença, que pode evoluir para hepatite gordurosa e cirrose hepática, caso não seja diagnosticada e tratada a tempo.

Como alternativa à tradicional biópsia, as novas técnicas de ressonância magnética constituem um método não invasivo para identificar e quantificar o grau de esteatose, pois mensuram a fração de gordura hepática através da decomposição de água e gordura.

Estudos recentes revelam que o grau de gordura no fígado identificado pela ressonância tem uma correlação bem próxima ao mesmo grau obtido pelo exame histológico, feito em biópsia.

Além disso, diferente da biópsia, em que é verificada apenas uma pequena parte do órgão, a ressonância permite uma avaliação mais abrangente do fígado e não traz riscos ao paciente.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo