Refluxo gastroesofágico provoca sintomas indesejáveis e pode causar câncer

Hospital Samaritano de São Paulo


23 de fevereiro de 2017


4 minutos

Azia, queimação, incômodo na região torácica são sintomas gastrointestinais relativamente comuns. Entretanto, quando esses sintomas se tornam comuns ou até diários, é hora de buscar um especialista e um diagnóstico preciso.

Uma das possibilidades da causa do problema é o refluxo gastroesofágico, também conhecido como DRGE. Ele ocorre quando há um refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago. Esse refluxo causa principalmente azia, queimação e regurgitação do conteúdo gástrico. Outros sintomas que também podem ocorrer com a DRGE são tosse seca, rouquidão, dor no tórax e dificuldades para a deglutição.

É importante buscar ajuda médica ao sentir esses sintomas com frequência e seguir o tratamento de forma correta e adequada, já que o refluxo pode ir aos poucos ferindo a parede do esôfago e podendo evoluir para o esôfago de Barrett, que é quando há uma alteração na mucosa do órgão. Isso aumenta a probabilidade de a pessoa desenvolver uma mutação e consequentemente um câncer.

Por isso, é importante ir atrás do diagnóstico, que pode ser feito através de exames como a endoscopia, a phmetria esofágica, manometria esofágica e o esofagograma. E a partir de quando o paciente descobre a doença, precisa fazer alterações na alimentação e no estilo de vida do dia a dia.

Alimentos como chocolate, café, chás, frituras, frutas cítricas, menta e hortelã, pimentas e molhos com base de tomate devem ser evitados, já que aumentam os sintomas do refluxo. O tabagismo, a obesidade e o consumo de bebidas alcoólicas também pioram o quadro da doença. E é recomendado que se evite comer até 2 ou 3 horas antes de dormir. Caso haja sintomas durante a noite, pode ser necessário elevar a cabeceira da cama para que o tórax fique mais elevado do que o abdômen.

Atrelado às mudanças na rotina e na alimentação, o tratamento também deve ser feito de acordo com cada caso, dependendo da avaliação do médico, mas geralmente consiste no uso de medicamentos que inibam a produção de ácido pelo estômago. Quadros mais graves, como os que envolvem hérnia de hiato, podem necessitar de cirurgia que corrija o problema e reforce a válvula entre o estômago e o esôfago.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Código de conduta UHG | Código de conduta para parceiros de negócio | Relatório de Sustentabilidade 2018 | Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881
>