Esteatose hepática: o que é e como tratar?

Entenda como o excesso de gordura no fígado pode causar males à saúde

Hospital Samaritano de São Paulo


27 de abril de 2017


4 minutos

Esteatose hepática é o termo médico que indica a presença de gordura no fígado, que quando atinge um nível elevado pode prejudicar o funcionamento do órgão e a saúde. A condição não afeta uma faixa etária ou público específicos, podendo aparecer em quaisquer pessoas que apresentem os fatores de riscos para o acúmulo dessa gordura no órgão.

O fígado é um armazém natural da gordura do organismo, mas algumas doenças e hábitos tendem a facilitar o desenvolvimento da esteatose tais como obesidade, diabetes, colesterol elevado, desnutrição e certas medicações processadas pelo fígado, como corticoides e antirretrovirais. Pacientes etilistas também correm mais risco de apresentarem esteatose com complicações, e quanto mais fatores de risco uma pessoa tiver, mais rápida e agressivamente ocorre a deterioração do fígado.

Por não causar sintomas, a esteatose muitas vezes não é descoberta e tratada a tempo. Apesar de ter uma evolução lenta, quando há gordura em excesso e por muito tempo, as células do fígado podem ficar inflamadas, evoluindo para o que é chamado de esteato-hepatite.

Essa “hepatite gordurosa” preocupa bem mais os médicos, pois aproximadamente 20% desses pacientes acabam evoluindo para uma cirrose. Além da hepatite e da cirrose, a esteatose, se não revertida, pode evoluir até para doenças muito graves, como o de câncer no fígado.

O diagnóstico é habitualmente feito através do exame de ultrassom, bem como pela tomografia computadorizada e ressonância magnética. Exames de sangue são complementares, ajudando a descobrir a gravidade das alterações hepáticas e se há ou não uma hepatite associada. O controle, para saber da progressão do quadro, também é feita por ultrassom. Dependendo dos casos, o médico requer até mesmo uma biópsia de fígado.

A partir do diagnóstico, o principal objetivo é identificar e combater o fator que desencadeou o desenvolvimento da esteatose. Mudanças de estilo de vida, incluindo dieta adequada e prática de atividades físicas – mesmas mudanças recomendadas para o controle do diabetes e colesterol – são recomendadas. Com isso, os níveis de gordura no fígado geralmente são reduzidos ao normal e o paciente pode ser considerado “curado”.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo