Hipertensão arterial: consequências, sintomas e causas da doença

Quem tem hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, mantém a pressão igual ou maior que 14 por 9.

Hospital Samaritano


4 de maio de 2016


4 minutos
shutterstock_312824303

Quem tem hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, mantém a pressão igual ou maior que 14 por 9. A pressão pode subir por vários motivos, mais comum é a hipertensão primária, etiologia multifatorial. Essa doença pode atacar os vasos, coração, olhos, rins e cérebro.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a hipertensão arterial é uma doença muito comum. Estima-se que no mínimo 25 % da população brasileira adulta sofra com este problema, sendo a maioria após os 60 anos. Além dos idosos, devido às mudanças do hábito de vida da população, é cada vez mais frequente o diagnóstico em jovens ou até mesmo em crianças. Atualmente, cerca de 5% das crianças e adolescentes no Brasil sofrem com a doença.

O cardiologista do Hospital Samaritano de São Paulo destaca que maioria dos hipertensos são assintomáticos. Os sintomas aparecem, em geral, somente quando a pressão sobe muito. Dores no peito, falta de ar, dor de cabeça, tonturas, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal são alguns dos sinais da doença.

Causas da hipertensão arterial

A principal causa de hipertensão arterial é primária, ou seja, tem origem por diversos fatores. Genética, sedentarismo, obesidade, ingestão de produtos ricos em sódio (sal de cozinha) estão correlacionados à doença. Deve-se ter especial atenção quando a pressão alta surge antes do 30 anos de idade, pois merece investigação adicional para causas secundárias como: doença renal, medicamentos, obstrução das artérias renais, doenças hormonais entre outras.

Consequências da pressão alta

A hipertensão arterial é o principal fator de risco relacionado a outras doenças. Ela é responsável por 40% dos infartos do miocárdio, 80% dos AVCs (derrames) e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.

Vale destacar que a hipertensão não tem cura. Porém, graves consequências podem ser evitadas desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento para um adequado controle da pressão. Dados revelam que somente um terço dos pacientes sabe que são hipertensos e destes, apenas um terço tem controles tensionais adequados. Para quem sofre com a doença, é fundamental adotar um estilo de vida mais saudável alinhado ao tratamento prescrito pelo cardiologista

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881