As diferenças entre hipotireoidismo e hipertireoidismo

Hospital Samaritano de São Paulo


2 de fevereiro de 2017


5 minutos

A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, responsável pela produção dos hormônios T3 (triodotironina) e T4 (tiroxina), essenciais para o bom funcionamento do organismo.

As principais disfunções da tireoide são o hipotireoidismo (baixa produção de hormônios) e o hipertireoidismo (excessiva produção de hormônios). Estas doenças atingem predominantemente as mulheres – a cada homem, 5 a 10 mulheres sofrem com a doença, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

A Dra. Carolina Ferraz, endocrinologista do Centro de Nódulos em Tireoide do Hospital Samaritano de São Paulo, explica melhor as diferenças entre o hipo e o hipertireoidismo. Saiba mais!

Hipotireoidismo

Sua causa mais comum é uma doença autoimune, na qual os anticorpos “atacam” a própria tireoide, diminuindo a produção de hormônios. Esta doença é conhecida como Tireoide de Hashimoto.

“Raramente o hipotireoidismo é causado por falta de iodo na alimentação, pois o sal no nosso país já tem a concentração adequada da substância. Hoje em dia, não há mais regiões com deficiência de iodo no Brasil”, comenta Dra. Carolina.

Sendo a disfunção mais comum que afeta a tireoide, alguns dos sintomas do hipotireoidismo são: cansaço, sonolência, inchaço, depressão, queda de cabelo, unhas fracas, intestino preso e desânimo.

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito por meio de sinais clínicos e de exames de sangue, que analisam as dosagens dos hormônios TSH e T4 Livre.

“Se necessário, o tratamento será indicado pelo médico e realizado por meio da reposição hormonal com levotiroxinasódica, análoga ao hormônio T4. Essa medicação deverá ser tomada diariamente ao longo da vida”, explica a especialista.

Em relação a alimentação, a médica orienta que “existem estudos que demonstram que o uso do selênio pode ajudar a diminuir as chances de hipotireoidismo por autoimunidade”. O selênio é encontrado, por exemplo, nas castanhas do Pará.

Hipertireoidismo

Assim como o hipotireoidismo, também é causado por uma doença autoimune. No hipertireoidismo, há a produção de um anticorpo que ativa a tireoide a produzir hormônio. Esta doença se chama Doença de Graves. “Nódulos (geralmente grandes) também podem produzir os hormônios T3 e T4, ocasionando a disfunção”, acrescenta Dra. Carolina.

Os principais sintomas são: taquicardia, tremores, perda de peso, cansaço, insônia e irritação.

O diagnóstico do hipertireoidismo também é feito por meio de sinais clínicos e de exames de sangue, que detectam alterações dos hormônios TSH, T4L e T3. A dosagem de anticorpos também pode ser solicitada para identificar as causas da doença.

“O tratamento, se necessário, poderá ser feito das seguintes maneiras: uso de medicação oral, aplicação de iodo radioativo ou cirurgia. O tratamento mais adequado será decidido em conjunto com o seu médico”, finaliza a endocrinologista.

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Atenção ao Tabagismo

Ver Todos
Hospital Samaritano São Paulo

Hospital Samaritano São Paulo

Código de conduta UHG | Código de conduta para parceiros de negócio | Relatório de Sustentabilidade 2018 | Diretor Técnico: Dr. Maurício Rodrigues Jordão - CRM 98.881