As possibilidades para a doação de órgãos em vida

A doação de órgãos é um ato de amor. Manifeste sua vontade de doar!

Hospital Samaritano


26 de julho de 2016


5 minutos

A doação de órgãos é um ato de amor. Manifestando a sua vontade de ser um doador você pode ajudar no tratamento ou até na cura de doenças em outras pessoas. Muitos esforços têm sido realizados pelas instituições de saúde para diminuir a fila de espera e a falta de conhecimento sobre o assunto ainda é um dos fatores que dificultam o processo de doação.

Quando um paciente precisa de um órgão, os próximos dias e horas são fundamentais para encontrar um doador, definir a compatibilidade e após o procedimento de transplante, garantir que as condições de saúde foram restabelecidas. Por isso, é importante saber como funciona a doação de órgãos e manifestar o desejo de doar, possibilitando que vidas sejam salvas através da sua solidariedade.

Doando em vida

A doação de um dos rins, partes do fígado e do pulmão, além de medula óssea e sangue, podem ser feitas em vida. Para isso, o doador tem que ser compatível com o receptor e estar em boas condições de saúde. Em casos em que não há grau de parentesco, é preciso uma autorização judicial para o procedimento.

Como funciona a doação

Rim: 

Por ser um órgão duplo, doa-se um dos rins, pois tanto o doador quanto o transplantado podem ter vida normal somente com apenas um dos órgãos funcionando.

Fígado ou Pulmão:

A doação é feita por meio de uma parte do órgão que é retirada do doador e transplantada no receptor. O órgão se regenera no organismo substituindo órgão deficiente.

Sangue:

A doação de sangue é simples, fácil e indolor. Basta algumas horas do seu dia para que você salve vidas. Para saber mais sobre doação de sangue, clique aqui.

Medula Óssea:

Ser um doador voluntário de medula óssea, disponibilizando suas informações no banco internacional, é de extrema importância para quem precisa de um transplante, pois as chances de compatibilidade são de uma para cada cem mil pessoas. Para saber mais sobre esse tipo de doação, acesso nosso tutorial.

No caso de quem quer ser doador, é necessário saber que alguns cuidados são necessários para a preparação da cirurgia, realizadas cada vez mais, de maneira minimamente invasiva. A recuperação é rápida, a vida continua normal e saber que você pode salvar uma vida é inspirador.

Após o transplante, a vida do paciente receptor muda completamente. Apesar de algumas possíveis restrições, dependendo do tipo de transplante, e até a continuação de determinados tratamentos. O acompanhamento periódico com um médico é essencial para o resto da vida do paciente.

A decisão de doar em vida é exclusivamente do doador que deve estar seguro do ato e ciente de todas as informações sobre a doação e o pós-operatório. Sem constrangimento ou medo, ser um doador, vai além de ser solidário, é um ato de amor!

Centro de Referência no Tratamento das Lesões de Nervos Periféricos

Ver Todos

Centro de Especialidades Pediátricas

Ver Todos